MAL-ME-QUER. Quando você não quer, não muda nada. Não vai me convencer que amor é ruim, porque o que eu sinto é lindo-lindo-lindo. Ele pode voltar enquanto eu fico encantada com os seus entornos. Estou triste, moço. Triste como quem não canta, triste como a cotovia muda. Posso voltar a fumar. Quero um...

IRMÃO MAIS VELHO. Quarenta minutos de trilha para chegar à praia onde o rio Jeribucaçu deságua no mar. Os poucos que encararam a caminhada aquele dia estavam na água: é o surf que justifica as longas subidas. Para...

FLUVIAL. A Paulo César Batista de Faria, o Paulinho, que c...

NÃO ESTACIONE: GARAGEM. Não estacione: garagem. Este foi o maior contrassenso da humanidade durante boa parte da minha infância. Soava quase como “não coma: comida”. Ora, não era esse o grande objetivo da garagem? Um dia eu chamei a atenção da minha mãe para o...

mal-me-quer

SOBRE: aline dias, amor, crônica, doce, mal me quer

Autor: Aline Dias

1 de setembro de 2014

Quando você não quer, não muda nada. Não vai me convencer que amor é ruim, porque o que eu sinto é lindo-lindo-lindo. Ele pode voltar enquanto eu fico encantada com os seus entornos. Estou triste, moço. Triste como quem não canta, triste como a cotovia muda.

Posso voltar a fumar. Quero um cigarro agora. Posso parar de malhar. Posso desconquistar tudo que eu briguei até agora, bagunçar a casa e derramar refrigerante no meu pé. Posso desfirmar um pouco. Ficar embargada em decisão judicial que eu nem sei o que significa.

Ele tão lindo me ensinou que eu não devo aceitar menos. Eu não sei direito o que eu quero. Se for sim, dá jogo. Não sei que problema você tem, moço, de não querer coisa tão nobre que é amor, e tão fresca que é minha pele. Mas, paciência: sofro de antecipação.

Dormi aflita e acordei resposta. Um não tão doce que até o céu ficou quente.

 

Aline Dias escreve às segundas-feiras

Comente Favorito

Sarah Princesa

Sarah Princesa

Quando Sarah nasceu, todos acharam que daria uma princesa: a menina é linda, filha do rei e ainda se chama Sarah. Algumas pessoas acham que Sarah princesa tem sempre uma lição a ensinar, mas elas estão enganadas. A garota é dessas que se aprende a amar com o tempo.

Likestore

 

Baliza de Navio e Outras Crônicas

Baliza de Navio e Outras Crônicas

O livro Baliza de Navio e outras crônicas foi escrito originalmente como trabalho de conclusão de curso na minha graduação em jornalismo. Em 2011, ele ganhou o prêmio da Secretaria de Estado de Cultura do Espírito Santo (Secult) na categoria crônica. Desde então, espero com amor (e um pouco de impaciência) por ele aqui na rua.

Natasha Siviero

A autora

Natasha Siviero é jornalista e escreve neste blog crônicas que às vezes dormem e às vezes não dormem e às vezes falam do próprio umbigo, embora o professor recomende que não. Em 2011 ganhou o prêmio da Secult com o livro Baliza de Navio e outras crônicas. Em 2012, publicou Sarah princesa, seu primeiro livro ilustrado.

facebook
Desenvolvido por JUUZ Design e Pedro Netto.